domingo, 7 de fevereiro de 2016

Comunicado Importante!



Dia 1º de março de 2016, às 19:30h, será efetivada a criação do Núcleo da AME – Associação Médico-Espírita de Parnaíba, com sede para suas reuniões no Centro Espírita Semente Cristã, localizado à Rua Bolívia, quadra 25, casa 10, bairro Jardim América.

O núcleo da AME-Parnaíba segue a orientação da Associação Médico-Espírita do Piauí e, tem como objetivo, firmar as bases para fundação da Associação Médico-Espírita de Parnaíba.

Poderão fazer parte do Núcleo da AME, médicos e demais profissionais ligados à área da saúde, acadêmicos universitários, reconhecidamente espíritas, assim como, estudiosos da doutrina espírita.

Inicialmente, será realizado o estudo da obra de André Luiz à luz da Codificação Espírita, iniciando com a obra Nosso Lar, primeiro livro da série, psicografada por Francisco Candido Xavier, pelo Espírito André Luiz.

As reuniões acontecerão toda Terça-feira, no horário de 19:30h às 21:00h, na sede do Centro Espírita Semente Cristã.

Maiores informações pelos telefones (86) 99402 4557 – 99479 5019

Email: dorarodrigues@proparnaiba.com

domingo, 17 de janeiro de 2016

Chico Xavier à sombra do abacateiro


Um sábado do ano de 1981


A tarde mostrava-se fria e chuvosa.

Todos estávamos bem agasalhados, contrastando com a fila imensa dos irmãos necessitados que estavam expostos às intempéries, dizendo sem palavras do quanto ainda há por fazer.

As crianças se reuniam em torno de fogueiras improvisadas... Mas, em todos os semblantes existia alegria. Chico, como sempre, contagiava-nos com o seu bom humor.

Uma senhora já bastante idosa, moradora do bairro, varou a multidão para beijar aquelas abençoadas mãos. Chico chamou-a pelo nome, perguntou se tudo ia bem. Ela se retirou feliz, falando baixinho: "Ele é um pai pra mim. Quando meu marido morreu foi ele quem cuidou de tudo..."

Cremos que a nossa crônica poderia encerrar-se por aqui, tal o material de reflexão que o depoimento espontâneo daquela irmã nos oferece, mas convém que avancemos.

Feita a prece inicial, o "Evangelho" no seu Cap. V — "Bem aventurados os aflitos", nos chamou a atenção para o item "Motivos de Resignação".

Companheiros vários, são convidados à palavra, pelo tempo de dois a quatro minutos.

Esse sistema de comentários, já tivemos oportunidade de analisar, é o que melhor funciona, pois, além de prender atenção dos ouvintes, em quatro minutos é nos possível sintetizar a mensagem que desejamos transmitir e, depois, cada um aborda o tema por prisma diferente.

Após os primeiros comentários, um confrade mencionou a resignação dos primitivos cristãos, testemunhando, nas arenas do sacrifício, a fé nas palavras do Senhor. Citou o romance de Emmanuel "Há Dois Mil Anos" mostrando a vitória da resignação de Lívia ante o orgulho do senador Públio Lentulus...

Outro exaltou a excelência da Doutrina Espírita, que nos enseja vários motivos de resignação.

A palavra de Chico Xavier, aguardada com expectativa, fez-se ouvir agora naquele ambiente de paz.

E ele contou uma lenda hindu, em que dois irmãos desejavam conquistar a pureza, seguir a trilha dos "mahatmas"...

Combinaram que, depois de vinte anos, ambos deveriam encontrar-se naquele mesmo local.

Cada qual seguiu o seu caminho.

Um se isolou do mundo, mergulhando na meditação e na prece.

O outro voltou para casa, lutando com as dificuldades naturais da família.

O tempo correu.

Vinte anos haviam se passado, quando os dois irmãos, fiéis à palavra empenhada, reuniram-se no mesmo lugar.

O primeiro, o que se havia isolado, não reconheceu o segundo, tal o estado deplorável de imundície em que se encontrava, estava sujo, rasgado, seguido por um grande séquito de necessitados...

O primeiro exibia uma túnica muito alva e refletia grande segurança.

Depois de se identificarem, foram à presença de um Anjo do Senhor, que somaria as dúvidas quanto ao aproveitamento de ambos, nas lutas da

Vida.

A escolha recaiu sobre o segundo, o que havia voltado para o convívio familiar, expondo-se às tentações.

"Mas, Anjo Bom — disse o primeiro — eu alcancei a pureza máxima, ao passo que o meu irmão traz o joelho ralado pelas sucessivas quedas...

Eu consegui atravessar o Ganges sem sequer tocar os pés na água....

O Espírito iluminado, depois de ouvi-lo, falou, melancolicamente: "Ah! meu irmão, para atravessar o Ganges sem molhar os pés, bastaria que você construísse uma pinguela..."

A lição nos tocou bem fundo a alma.



Com a prece final, fomos todos dar o nosso abraço de amizade aos irmãos que nos aguardavam, na certeza de que o melhor processo de avançar será sempre trabalhar e esperar.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

UME de Parnaíba elege sua nova diretoria


Mauricio Filho, Silvia Silva, Eliete Freitas, Samuel Aguiar, Antônio Cacau


Estão eleitos para mandato no triênio 2016/2018 os confrades espiritas Samuel Aguiar e Eliete Freitas para os cargos de Presidente e Vice Presidente, respectivamente, da União Municipal Espírita de Parnaiba.

A Assembleia de eleição ocorreu na manhã deste último dia 10, no C. E. Humberto de Campos com a presença das 09 Casas Espíritas de Parnaiba e foi presidida por Antônio Rodrigues (C. E. Perseverança no Bem) e secretariada por Rosário Lira (C. E. Humberto de Campos).

Na ocasião o Presidente eleito da UME Samuel Aguiar nomeou, conforme prescrito em regimento interno, para os cargos de Secretaria Geral, Tesouraria e Comunicação Social os confrades Silvia Silva (C. E. Bezerra de Menezes), Antônio Cacau Junior (C. E. Caridade e Fé) e Mauricio Filho (C. E. Vida e Progresso), respectivamente.

domingo, 10 de janeiro de 2016

Psicografia de Euripedes Barsanulfo por Suely Caldas Schubert


"Sempre estamos protegidos por nossos "Anjos" a nos alimentar o bom ânimo!"
Irmãos Queridos.


Diante dessa crise que se abate sobre o nosso povo, face a essa onda de pessimismo que toma conta dos brasileiros, frente aos embates que o país atravessa, nós, os seus companheiros, trazemos na noite de hoje a nossa mensagem de fé, de coragem e de estímulo. Estamos irradiando-a para todas as reuniões mediúnicas que estão sendo realizadas neste instante, de norte a sul do Brasil. Durante vários dias estaremos repetindo a nossa palavra, a fim de que maior número de médiuns possa captá-la. Cada um destes que sintonizar nesta faixa vibratória dará a sua interpretação, de acordo com o entendimento e a gradação que lhe forem peculiares.

Estamos convidando todos os espíritas para se engajarem nesta campanha. Há urgente necessidade de que a fé, a esperança e o otimismo renasçam nos corações. A onda de pessimismo, de descrédito e de desalento é tão grande que, mesmo aqueles que estão bem intencionados e aspirando realizar algo de construtivo e útil para o país, em qualquer nível, vêem-se tolhidos em seus propósitos, sufocados nos seus anseios, esbarrando em barreiras quase intransponíveis.

É preciso modificar esse clima espiritual. É imperioso que o sopro renovador de confiança, de fé nos altos destinos de nossa nação, varra para longe os miasmas do desalento e do desânimo. É necessário abrir clareiras e espaços para que brilhe a luz da esperança. Somente através de esperança conseguiremos, de novo, arregimentar as forças de nosso povo sofrido e cansado.

Os espíritas não devem engrossar as fileiras do desalento. Temos o dever inadiável de transmitir coragem, infundir ânimo, reaquecer esperanças e despertar a fé! Ah! a fé no nosso futuro! A certeza de que estamos destinados a uma nobre missão no concerto dos povos, mas que a nossa vacilação, a nossa incúria podem retardar. Responsabilidade nossa. Tarefa nossa.
Estamos cientes de tudo isto e nos deixamos levar pelo desânimo, este vírus de perigo inimaginável.

O desânimo e seus companheiros, o desalento, a descrença, a incerteza, o pessimismo, andam juntos e contagiam muito sutilmente, enfraquecendo o indivíduo, os grupos, a própria comunidade. São como o cupim a corroer, no silêncio, as estruturas. Não raras vezes, insuflado por mentes em desalinho, por inimigos do progresso, por agentes do caos, esse vírus se expande e se alastra, por contágio, derrotando o ser humano antes da luta. Diante desse quadro de forças negativas, tornam-se muito difíceis quaisquer reações. Portanto, cabe aos espíritas o dever de lutar pela transformação deste estado geral. Que cada Centro, cada grupo, cada reunião promova nossa campanha. Que haja uma renovação dessa psicosfera sombria e que as pessoas realmente sofredoras e abatidas pelas provações, encontrem em nossas Casas um clima de paz, de otimismo e de esperança! Que vocês levem a nossa palavra a toda parte. Aqueles que possam fazê-lo, transmitam-na através dos meios de comunicação. Precisamos contagiar o nosso Movimento com estas forças positivas, a fim de ajudarmos efetivamente o nosso país a crescer e a caminhar no rumo do progresso.

São essas forças que impelem o indivíduo ao trabalho, a acreditar em si mesmo, no seu próprio valor e capacidade. São essas forças que o levam a crer e lutar por um futuro melhor. Meus irmãos, o mundo não é uma nau à matroca. Nós sabemos que Jesus está no leme! e que não iremos soçobrar. Basta de dúvidas e incertezas que somente retardam o avanço e prejudicam o trabalho. Sejamos solidários, sim, com a dor de nosso próximo. Façamos por ele o que estiver ao nosso alcance. Temos o dever indeclinável de fazê-lo.

Sobre tudo transmitindo o esclarecimento que a Doutrina Espírita proporciona. Mas também, que a solidariedade exista em nossas fileiras, para que prossigamos no trabalho abençoado, unidos e confiantes na preparação do futuro de paz por todos almejado. E não esqueçamos de que, se o Brasil é o coração do mundo, somente será a pátria do Evangelho se este Evangelho estiver sendo sentido e vivido por cada um de nós.


Eurípedes Barsanulfo


Mensagem recebida no Centro Espírita Jesus no Lar
Médium - Suely Caldas Schubert
Recebida aos 24/06/12